29.4.07

Bah...

Acho que escrevo tanto quanto falo... as postagens sao tao compridas! Espero que voces tenham paciencia o suficiente pra ler tudo!



Foto maluca tirada durante a viagem pra Laponia, com um bando de hungaros... sei que ainda nao falei sobre isso, entao esse eh so um aperitivo ;) Adoro a foto, foi tri divertido se arrumar pra tira-la!!


"Do be do be do" - Nem Socrates, nem Platao :)

Tudo comecou ainda em Edimburgo. Deitadas no pub Brass Monkey, Vanessa e eu assistimos um filme chamado "Mediterraneo", que falava sobre a invasao de soldados italianos na Grecia. O filme e belissimo (recomendo!), fala de como os soldados incorporaram a cultura grega e nao queriam mais sair de la. Quando acabou o filme, a primeira reacao foi: vou para a Grecia!

Na volta pra casa, quando desembarquei no aeroporto aqui em Tampere, o termometro no marcava -21 graus. "Vou para a Grecia". Cheguei em casa, revirei sites das compahias aereas e achei voos muito baratos (60€ mais taxas). Reservei.

Falei com as gurias se elas queriam vir tambem (a Leasa e a Preet), e a americana topou na hora. Por circunstancias maiores, ela foi uma semana antes, e aproveitou outras ilhas, como a famosa Santorini, e combinamos de nos encontrar na ilha de Creta. Eu me detive em Atenas e depois na ilha (ao lado, o Templo de Zeus, com a vista da Acropole no fundo).
Para quem esta acostumada a viver na quieta Escandinavia, Atenas me pareceu uma baderna. Trafico, buzina, gritos, mototaxis, ladroes. Duas vezes percebi que minha bolsa estava aberta, mas com tudo dentro, felizmente. A cidade tem os pontos historicos maravilhosos, mas parece estar desmoronando. Nao somente as antiguidades, mas tambem os predios novos.

A Acropolis e de tirar o folego. Primeiro, pra chegar la em cima e um exercicio, 15 minutos de caminhada no morro (=hiking). Tivemos que parar para descansar, de tao ingreme que era. No caminho, passamos pelo Teatro de Dionisio (tambem conhecido como Baco, o mais safado deles). Deixa a gente sonhando com quais pecas foram representadas ali... por quanto tempo...

Depois, ver o Panternon (primeira foto la em cima), e ter a vista de toda a cidade eh indiscritivel. O dificil e achar lugar para tirar fotos sem que outros 200 nao aparecam ao fundo. Um ds guardas conferindo nossas carteiras de estudante (= passe de graca!) disse que diariamente ha em torno de 3000 turistas, o dobro nos fins de semana. Havia muitos idiomas juntos durante todo o caminho ate la em cima, varias turmas de colegio (da Italia e da Finlandia, inclusive), criancas das escolas gregas do primeiro grau aprendendo sobre o lugar, e varios guardas cuidando para que nao tocassemos nos marmores ou (pasmem) ver se os turistas tiram fotos serias. Nada de poses, yoga, pulando, fingindo segurar os pilares... so fotos sem graca por respeito ao lugar. Dai, o que a gente faz com o bando de gatos que moram la em cima, ou os turistas que levam seus cachorros? A gente ficava rindo do fato que Zeus ate perdoa um xixizao nas colinas do Panternon, mas nao uma pose de yoga que dura 5 segundos! :)

Creta, a maior ilha grega, tambem e cheia de mitologia (ao lado, as vista da cidade de Malia). Foi la onde nasceu Zeus, e onde ele foi escondido de seu pai Cronos, senao seria comido vivo, coitado, para que nao crescesse e futuramente tomasse seu lugar como rei dos deuses. Nao adiantou, a mae escondeu a crianca e Zeus se deu bem no final. Os dias estavam ensolarados, mas nao muito quente, em torno de 20 graus. Mesmo assim, nao resisti ao mar azul e por 10 minutos fui a unica pessoa a brincar no mar!

Nosso hotel era bem simples, mas tinha piscina e era na beira do mar (ultima foto, abaixo). A Leasa tinha alugado um carro e saimos viajar pela ilha para conhecer mais sobre os costumes e ver como as pessoas viviem. A plantacao de azeitona e muito grande, e cada adulto cretense consome em torno de 30 litros de oleo de oliva por ano, geralmente produzido em casa mesmo. A comida e muito saborosa, cheia de saladas e pratos tipicos, baratos e muito simples de fazer!

Nesse passeio, pelas vilas de Potamies, Avdou, Gonies and Mochos, paramos para fazer hiking por 3 horas nos morros, sempre desviando dos cocos das cabras locais ;), almocamos numa "tabepna" e tiramos muitas fotos. Fiz um video de uma das nossas paradas (http://www.youtube.com/watch?v=_-8AiTxSCL4 ), e tem outro filme do You Tube que a Leasa fez (http://www.youtube.com/watch?v=AaTCPvAx5zs ).

Abaixo outras fotos: os morros em Gonies, o estadio olimpico inaugurado em 1897 para as primeiras Olimpiadas, e reformado para os jogos de Atenas em 2004, o antigo forte no porto de Heraklio, capital de Creta.









Pra terminar, aos que entendem ingles: havia uma camiseta que dizia:

"To do is to be." - Socrates
"To be is to do" - Plato
"Do be do be do" - Sinatra

E um trocadilho dos verbos "to be" e "to do", em ingles com a musica de Sinatra, "Strangers in the Night". Dificil explicar:
"Fazer eh ser" - Socrates
"Ser eh fazer" - Platao
"fazer, ser, fazer, ser, fazer" - traducao horrorosa da musica. :)

28.4.07

Indicacao

Tenho uma indicacao a fazer:
Uma pessoa inteligentissima, chamada Denise Arcoverde, brazuca mas mora nos EUA, tem varios blogues que sao um show.

O principal, creio eu, se chama Sindrome de Estocolmo - http://www.sindromedeestocolmo.com/. Ela explica porque escolheu esse nome. Tem muita informacao la, vale a pena visitar ele. Passo horas lendo e aprendo um monte.

Acho que seria legal ver e entender porque e um blogue tao especial!!

divirtam-se :)

Aulasssss

YUPII acabou a moleza!!

Depois das poucas aulas em Abril, Temos aula todo o mes de Maio, nada de viagens, 4 artigos para escrever... teremos um professor visitante do Mexico, e ate o Papa vem nos ver! Direto de Oslo - super Prof. Peter Maassen e suas discussoes sem fim sobre politicas de educacao superior, e a influencia dos Estados no governo das instituicoes (na foto comigo enquanto eu ainda servia naquela blusa verde). Maassen e holandes, eh muito respeitado na Europa, e, o que eh mais importante: as aulas dele sao muito boas (= ninguem dorme hahahah).
Que bom. Tava cansada de fazer nada.
:)


27.4.07

Trancadas no trem

Sabe quando tu acha que as coisas estranhas tem um limite? Elas geralmente nao tem, ne? Entramos em cada encrenca que se tornam hilarias, bem coisa de filme.

Nossa fiel companheira indiana, Preet, tambem entra em encrenca. Roubaram o passaporte dela na Italia e ela ficou 2 dias morando no aeroporto porque queriam mandar a tadinha embora pra India, nao pra Noruega. Dai, Leasa e eu passamos esse tempo atras de documentos com a policia em Oslo pra nao deixar deportarem ela. Conseguimos.

Dessa vez, nao fomos roubadas nem nada. Dormimos e nor ferramos :D. Como roubaram o passaporte da Preet em Outubro de 2006, ela conseguiu um temporario por 1 ano. So que essa data de validade e pouca para que ela peca o visto pra Portugal (aos que nao sabem, estamos nos mudando pra Portugal em Julho pra continuar nosso mestrado, na Universidade de Aveiro).

O meu passaporte vence em Maio de 2008, e por isso o tio do consulado portugues complicou. "Se vaixxx a pidir o vixto ate Junho de 2008, nessito qui tenhaxx o passsssporte validu at' a data finallll" .

Nossa turma foi ate a capital, Helsinki, pedir o visto, todos os 17. Somente nos duas nao pudemos enviar todos os documentos. Isso foi numa quarta, e tem ate um videozinho legal (mas em ingles) da nossa aventura. Esta disponivel em: http://www.youtube.com/watch?v=6s86UC1TBmo . Na sexta, pegamos um trem cedo (7am) e nos mandamos de novo pra Helsinki. Fomos nas nossas embaixadas e depois de novo incomodar o tio portuga para entregar os papeis e agilizar o processo.

Na volta, dormimos no trem. A Preet nao combina com acordar cedo e eu tava muito cansada porque andar com as muletas e muito dificil! Pelas tantas ouvi um anuncio em finlandes, e depois em sueco. Mas nao em ingles. Fechei os olhos e dormi de novo, porque estavamos 1h longe de Tampere. Uns 15 minutos depois, um silencio e o trem estava parado. Levantei a cabeca, olhei em volta, na janela... e ninguem no trem. Um susto. Nao estavamos na plataforma, mas estacionadas em algum lugar entre outros trens, numa estacao que ate hoje nao sabemos onde fica no mapa.

Chamei a Preet, no estilo Apolo 13: "Preet, we have a problem" (no filme, o ator - Tom Hanks - diz da nave: "Houston, we have a problem"). Vimos que estavamos mesmo trancadas num trem! Ligamos pro numero de emergencias, e uma senhora muito simpatica falou que iria ajudar. Nada. Apelamos pra batecao e a risada, e fotos das duas trancadas. Nao tinha como nao rir, era uma situacao louca!

Por fim, um motorista nos viu, e chamou um velho babaca, que a gente tava abanando por uns 10 minutos, ja tinha nos escutado e nao se mexia! Entao, de repente, nao mais que de repente... o babaca esta abrindo a porta pra gente! Soltamos um "kiitos" de obrigada e comecamos a saltar os trilhos pra chegar na estacao, rindo que nem duas doidas, cada uma com uma muleta.

Chegamos em casa 1h mais tarde, mas chegamos de trem chique, de dois andares.

Dormir em trem... jamais!!

5.4.07

Loveboat pra Suecia :)

A Universidade Tecnica de Tampere (TUT) , que eh basicamente um super universidade pra engenharia e arquitetura, com um orcamento de (pasmem) 120 millioes de euros por ano (PQP!!), coordenou uma viagem pra Estocolmo, capital da Sverige.



Foi uma viagem bem curtinha, so 2 dias, em um super barco, chamado Loveboat (o barco do amor). UHUUUUUUUUUUUU
Os guris que estavam organizando (sim, so da cueca la dentro :P) convidaram tambem os estudantes internacionais da nossa universidade (UTA). Entao, 240 estudantes se juntaram e fomos em 6 onibus pra Suecia domingo. O barco saiu de Helsinki as 6 da tarde e chegou em Estocolmo no outro dia, as 9 da manha. Passamos o dia em Estocolmo e voltamos na mesma hora pra Finandia. Depois, de Helsinki pra Tampere de busao de novo.
O barco e um negocio. 10 andares, 3 lojas de tax-free, elevadores, restaurantes, casa de show, sauna, cinema, centro de conferencias e claro, uma boate.

Como sou chiquerrima, comi caviar. Como sou pobre, detestei... BLEKS, e ovo de peixe cru!!! Os estudantes baderneiros foram postos pra dormir em cabines que ficavam no 2o. andar. No 3o. andar era reservado para animais (???), e o 4o. andar era para carros e onibus. Nos outros, gente chique, e o entertenimento.
Nos divertimos um monte, dancando entre os velhinhos depois do show (foto acima). Ao lado, eu, Emnet e Preet. So que... bem, shit happens...

La pelas tantas, com a amizade estabelecida com uma senhora mexicana chamada Dona Tequila e um senhor russo tri mal humorado, o Sr. Vodka, um incidente. Minha fiel companheira garrafa d'agua caiu no chao. Retomando aquele assunto da pobreza, era muito caro comprar agua, entao andava com uma garrafinha de plastico pra la e pra ca. Imagina a cena: a garrafa caiu lentamente. A Ali se abaixou mais lentamente ainda pra pegar a garrafinha. E veio aquela trilha sonora, o filme em camera lenta. Quando me levantei, o Sr Emnet, emocionado com a musica, rodopia no meio da nossa rodinha (dancando com o Cezar, outro brazuca, e a Preet) e bate em mim. De repente, a musica do filme acaba. Suspense...... Eu nao tava prestando a atencao, me desequilibrei e torci o pe. Minha perna nao funcionou mais, nao podia levantar, e veio o pavor. PQP!

Sai do meio do pessoal carregada por nao sei quem. Na escada, tirei o tenis e vi um ovo no meu tornozelo. Alguns "doutores" vieram ver o que se passava e apertavam e mexiam meu pe sem doh. Ta louco. Fui pra cama apavorada, porque passariamos o outro dia em Estocolmo.

No outro dia, a enfermeira do barco me disse que nao tava quebrado e meu deu um par de muletas vermelhas (lindas, por sinal). E me fui passear caminhando como uma velha.

Quando chegamos de volta pra Tampere, vou direto pro hospital. Chego as 13:30 e ate as 5:15 estava no corredor esperando um medico. O hospital tava vazio e os meus planos malignos de quebrar vidros e dar-lhe pau na enfermeira que so me dizia "ai, e assim aqui, meu bem, tem que esperar te chamarem..." estavam bombando no meu cerebro, e doendo no meu estomago vazio que so tinha cafe da manha. Que raiva!!!!! Passou uma mulher que parecia uma medica e pedi meu raio X porque eu queria ir embora. Ela se espantou. Nosso dialogo:

- A senhora e doutora?
- Sim.
- Erm... posso pegar meus exames e ir embora? Vou na clinica dos estudantes na universidade amanha.
- Como? (cara de babaca)
- Cheguei aqui a 1:30. Nao almocei. Ninguem me fala quando vou ser chamada, e o hospital ta vazio. So preciso saber se me quebrei ou nao. E estou morrendo de fome, quero ir embora.
- Ah, mas nao pode levar o exame... porque vao te mandar pra ca de novo se tu for em outro hospital. Mas, olha.. tu e jovem, saudavel... tem senhoras 94 anos, esperando tambem.
- Entao... atende elas! Nao deixa elas la!
- he he he... mas elas tem que ser chamadas.
- (um palavrao bem feio- censurado porque esse eh um blog de familia) Entao, o que eu faco?
- Erm... perai, acho que posso te atender. (....) Ah! Barlete, tu e a proxima. Por favor, entra.
- (FILHA DA *&%~$£**)!!!!.

E foi isso. Rompi os ligamentos do pe direito. Em 5 min. ja tinha o pe enfaixado pelo tio do gesso (fotinho) e as 5:45 tava no onibus. Nao tenho respostas pro sistema... se alguem ta pra morrer, vai morrer ali mesmo.
Shit happens!!! :D