19.2.11

E a história se repete...

14/02/2011.
8:00: Parque olímpico, Ave. 27 de Febrero, Santo Domingo: torci o pé direito caminhando enquanto ia para o trabalho. Um ou dois palavrões. Segui adiante.
11:20: Universidade: sinto um pouco de dor, mas sigo adiante.
12:25: Restaurante. Não aguento mais a dor.
13:00: Hospital UCE - Sala de emergência. Em companhia de uma amiga querida, encarregada das risadas, e do registro fotografico.
14:00 - Injeção na bunda contra a dor. Nem eu esperava por essa.
14:15: Colocar gesso (de barriga bra baixo, uma inovação). Não tem fratura, por sorte!
14:45: Ver fotos. (Dramática a cadeira de rodas, né?)

15/02/2011.
Casa. Dor em todo o corpo pelo peso do gesso. E, segundo dizem as más línguas, pelo fato de que não parei quieta. Em minha defesa, eu voto contra. Democraticamente.
Ah! É o dia do meu aniversário também. Detalhe.

16/02/2011.
8:00: Clínica ortopédica errada.
8:40: Clínica ortopédica certa (acontece com as melhores famílias).
9:45: Chega a secretaria do doutor.
10:30: Consulta (com um doutor que estudou Medicina na Escola de Medicina de São Paulo).
11:00. Sem gesso, sob solicitação (e súplica) real. (*wooohooooo*!)

Bem, "O resto é silêncio". E licença médica. E cama. E gelo. E remédio. E fisio. E assistir Glee. E Sheldon. E Fringe. E Vampire Diaries. E fazer os temas da especialização. E outra cama na sala. E tédio. E a promessa de nunca mais morar no 4o andar. E preguiça. E uma (ok, duas) escapadas na rua (pra manter a sanidade mental).

Como diz o título do post, a história se repete, mas com menos impacto. E que pena que não tinha Estocolmo...

Um comentário:

Fabi disse...

Eita! Ligo no dia do aniversário! Agora fica quietinha para melhorar rápido!
beijoss